terça-feira, 25 de julho de 2017

Dark Pathworking: Satanas

Dark Pathworking: Satanas




Atu VII - AZOTH


"O Menstruum - o aspecto sinistro implícito dentro da água metálica homogênea": o fator explosivo no delicado equilíbrio dos elementos que aumentam a vida. Mudança por adversidade - o 'Acusador'. Como realidades brutais que ameaçam devorar o abstrato, o romântico. Insight e controle através da compreensão do Primal - ou destruição por ele ".

Vestido de preto, entrei na câmara, com a  intenção de invocar uma energia destrutiva que eu sabia que permitiria me superar de forma igualmente destrutiva. A intenção encheu meu próprio ser com uma ansiedade que parecia estar fora do lugar. Mas havia um sentimento de glória para o que eu faria - um sentimento que certamente voltaria para mim repetidamente, já que eu me aventuraria na obra das Trevas com a presença que criaria, Satan.

Eu acendi às velas e respirei profundo e lentamente, por alguns minutos - sabendo que primeiro deveria relaxar e tornar-me satisfeito com tudo ao meu arredor antes de mais uma vez arriscar-me a entrar nesse portal. O Tetraedro de Quartzo já estava  no altar, então percebi que ele estava pulsando junto as trevas. Era um Nexion, formando-se lentamente entre isso, eu e os cânticos que cantei para atrair os Deuses Obscuros. Eu sabia que esses Deuses, uma vez invocados para adentrar minha consciência, poderia causar muita agitação, até terror. Mas tal intrusão obtida, seria apenas uma pequena parte - quando comparado ao terror total e ao caos, que em essência são estes Deuses Obscuros, é um elemento importante para alcançar o equilíbrio que se busca.
Os Deuses Obscuros corporificam o espírito da vida e o dão a Carga Acausal implícita em qualquer ser consciente. Uma vez que os Deuses Obscuros invadiram nosso mundo causal, causando assim o terror, uma agitação e uma destruição que forçaram um desenvolvimento de nossa espécie por meio do aumento de nossa consciência. É isso que eu procuro alcançar, individualmente. Não é só para abrir mais um Nexion em mim, mas para extrair a essência enegrecida do ser, para que eu possa desenvolver a minha consciência, sobreviver ao terror e me aproximar um passo a mais do equilíbrio do plano Causal/Acausal, que eu procuro me tornar.
Quando comecei com as vibrações vocais - "Sa-tan-as" - eu mantive consciência em relação ao meu meio e sintonizava meu foco para extrair o elemento sinistro da força destrutiva e criativa; O que eu entendo por Satanas. Quando completei as vibrações, algo me ligou ao meu Tetraedro de uma forma inexplicável, experimentei uma frieza de ser. Ou seria melhor descrito como não-ser? Eu me afastei ligeiramente de onde eu estava, e continuei o rito. Comecei uma dança lenta, cantando repetidamente "Satanas", enquanto aumentava a velocidade. A dança foi espiralada para dentro, onde eu senti antes a presença de Satanas, e onde eu finalmente cai, esgotado e me separando do eu físico. Comecei respirando profundamente, não obscurecendo ou direcionando conscientemente nada que pudesse ocorrer em minha mente. Eu pretendia relaxar e deixas as visões que seriam usadas como comunicação para a consciência virem através disso.
As visões eram evasivas, mas os sentimentos não eram. A baixa temperatura tomou conta da câmara, e Satanas começou a tomar posse do vazio. Eu me descobri em uma luta, pois estava impregnado em uma espécie de caos que eu não consegui entender. A razão foi evasiva, a compreensão estava além do alcance. Tudo o que eu podia perceber estava se perdendo, sem saber para onde ir, nem se deveria ir a algum lugar. Uma figura no Atu mudou, e começou dar forma a energia. Mas isso não aconteceu dentro do próprio Atu, mas sim dentro de mim, fora de mim, na minha frente, ao meu redor.
Meu corpo enfraqueceu, e um exaustão agarrava-se firmemente para suportar e completar o rito. Eu não estava sendo drenado, como alguns podem pensar. Mas ao invés disso, eu estava experimentando um domínio em minha consciência que era até então inconsciente. Foi uma intrusão, que sem saber eu desejei ser brusca. E quanto mais brusca melhor, enquanto eu mantesse a habilidade para me mover. A exaustão que experimentei durante a dança não foi duradoura, já que era apenas um resultado de frenesi. Mas com Satanas, rapidamente surgiu uma exaustão profunda, não apenas do corpo, mas do espírito.
Depois, minha percepção se separou-se de mim . Esse sentimento de desapego e o esgotamento que o acompanhava duraria mais de vinte e quatro horas após a conclusão do rito. Este desapego, no entanto, não era uma ignorância para com o mundo causal de nossa existência, mas sim uma consciência das forças em ação por trás de tudo. Tal exaustão que eu senti, era um resultado dolorosamente zombador,  mas tudo o que eu podia fazer era sorrir para isso, pois é um preço pequeno a se pagar para o que eu procuro e sem dúvida, sentirei pior nas próximas vezes. Pior talvez, mas não sem a glória que eu senti dando inicio a isso, uma glória que não vai jamais diminuir.

Thornian, ONA.
  
[O precedente foi adaptado das notas do meu diário mágico descrevendo minhas experiências com a Árvore da Wyrd e a Tradição Septenária: Hebdomadria. - Thornian]

Tradução: Ajax Sirius
Revisão: AShTarot Cognatus

- Ordem dos Nove Ângulos -

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Portais Estelares



Thornian, ONA. 

As estrelas estava a vista em todos os lugares , em meio à escuridão desconhecida que implorava em ser conquistada. Uma em particular brilhou com uma vibração incomparável. Não era a estrela mais brilhante, nem a mais próxima, e nem a maior delas. Mas agora seu brilho chegou muito mais longe que o olho nu podia ver, e se estendeu até o núcleo do ser, do iniciado que estava por baixo disso. Uma vida de anos-luz de distância, revelando-se como destino.

Ele sabia que não havia nenhum portal,  ligando sua consciência à do cosmos. Pois já estavam entrelaçados, através de milhares de portais. Tecidos juntos através da iniciação e da remoção da ilusão, isso sendo a Tradição das Trevas. Ele era o Cosmos, e ele se deixava dirigir por sua Vontade. Este entrelaçamento, entre Causal e Acausal, era o núcleo de seu ser. A Força Acausal, entendida por homens menores como uma "centelha divina" também foi o único fator para o qual a existência orgânica era possível. Foi nisso, que o Nexion dentro de sua consciência - tanto latente quanto percebida - que a luz da estrela se estendeu, penetrou e se tornou.

Permanecendo encantado com a energia que esta estrela produziu - assim como o sol fez nos Aeons passados e nos mundos esquecidos há muito tempo - o Iniciado Sinistro entendeu como encarnando a Wyrd. Isso tinha dado vida, significado - numen, aos seus feitos, mesmo antes de sua luz entrar em vista. Longe dali, não tinha nenhuma forma ou nenhuma resposta a ser concedida sem a busca de uma vida através desses portais de ser e não-ser, que deve ser descoberto antes que a forma mais fraca possa ser identificada. Isso ele aceitou.

Transferido agora de seu mundo, até limites antes obscuros, ele flutuava sem peso entre as galáxias do tempo passado e do tempo futuro. Mas lá o tempo não importava - não fluiu, mas produziu o caos até o ponto do nada. E ele viu as estrelas próximas às dele - mil destinos entrelaçados em uma galáxia que transcendeu todo pensamento e razão. Pois foi apenas a remoção de tais coisas, para revelar uma intuição genuína que naturalmente se destacou além dos limites da mente consciente.

A luz cega então englobava o Iniciado, em um incêndio instantâneo. Um satori, até então incompreensível em qualquer nível, falou de maneiras ainda incompreensíveis, até que o iniciado fosse lançado nas visões dos líderes caídos, desprovidos de seus destinos - como foi necessário para produzir a wyrd de mil outros. E o Ser Cósmico acenou com a cabeça para o iniciado, em reconhecimento.

De volta a sua pátria, os restos sem forma de uma guerra sangrenta caíram sob seus pés. Destacada de uma maneira mais consciente do que ilusória, o iniciado não tinha sentimentos. Não havia desespero, nem horror, nem compaixão. Mas simplesmente uma compreensão de por que haveria de ser. Uma nuvem negra se espalhou pelo chão, e se moveu lentamente pela terra, como um deus sem nome trazendo-lhe essas idéias - e os Deuses Obscuros se manifestaram em todo o mundo sob a forma de uma grande guerra sangrenta. Mas ele não se deu conta das visões enviadas ao seu consciente - vindo das próprias pessoas, que foram sacrificadas à vontade galáctica. Pois tal sacrifício era necessário, para o  fluxo contínuo da vida, e tudo o que merecia aviso foram as mudanças que acontecem e as maiores realizações da vida a seguir. A maioria dos outros não acreditava que fosse para melhor, mas esses outros eram simplesmente os peões.

Uma vez que essas intrusões diminuíram, ele ficou entre o frio do nada e do vazio; Com apenas os remanescentes nivelados de um mundo - para ser construído do inicio, diante dele. Na frente dele permanecia o passado, uma manifestação de nobreza e determinação que ele teve nesta vida, sem comparação. O soldado permaneceu não somente com o seu passado, mas o passado de seu destino, e de outros cujos destinos deveriam ser reunidos sob o wyrd cósmico. Cada indivíduo com seu  destino, mas tecido na vontade do cosmos...

O soldado e ele não precisavam de palavras. Pois comunicavam-se  unicamente através da auto-introspecção, de forma muito mais eficaz do que seria de outra forma. O soldado do passado trouxe idéias surpreendentes para o futuro e de tempos passados, para o qual o presente não era mais que uma estrada estreita entre eles. Ele viu nos olhos do soldado apenas um caos sem vida.

Olhando de volta para o céu, ele novamente identificou sua estrela sem nome. O soldado já havia desaparecido, e o iniciado apenas  refletia  sobre o mundo que ele havia viajado - em algum lugar entre a Lua e Saturno -, mas muito além das galáxias e dos sistemas estelares em que residem. Profundamente na escuridão desconhecida, sua estrela brilhava, emanando com a força da Wyrd esperando sua realização. Um dia ele deveria se juntar novamente ao misterioso soldado, com qualidades parecidas de determinação, honra e destino que ele representava - no planeta solitário que orbita sua estrela.

Tradução: Ajax Sirius
Revisão: AShTarot Cognatus

- Ordem dos Nove Ângulos -

sábado, 17 de junho de 2017

Satanismo, Blasfêmia e a Missa Negra

Felicien Rops (Belgian, 1833-1898) - Black Mass, 1877
[ONA 1974eh]

Em um aspecto importante, o Satanismo pode ser considerado pelos novos Iniciados como um processo de catarse – significa um meio aonde os indivíduos irão se despojar de papéis limitantes frequentemente criadas pelo ethos¹ou ética da sociedade na qual se encontram inseridos.
Portanto, passados mil anos ou mais na Europa Ocidental, um dos Rituais Satânicos mais importantes, e que mais preocupava os noviços e o “público”, era a Missa Negra – simplesmente porque o ethos que governava pertencia à organização religiosa Nazarena. Todavia, a má interpretação do Satanismo genuíno é a razão da catarse, particularmente porque a genuína Missa Negra possui apenas alguma semelhança  com a “missa negra” descrita nos últimos 500 anos por vários escritores e “autoridades”.
Para o aprendiz satânico (os dois primeiros estágios das sete partes do caminho Satânico), o Satanismo representa o aspecto obscuro da psique individual – e assim se identificando, o indivíduo é habilitado pela transformação resultante para iniciar a “Grande Obra” cuja conquista é o objetivo do Adepto. Esta "Grande Obra” é simplesmente a criação de um novo indivíduo – e este novo tipo de indivíduo, em virtude do caminho seguido, frequentemente inspira certo terror nos outros. Claro, o Caminho da Mão Esquerda é difícil, para não dizer perigoso, e o fracasso geralmente ocorre ao longo do caminho, pois a pessoa não compreende como as forças das trevas podem ser abordadas, manipuladas e, o mais importante, integradas para permitir uma identificação além do bem e do mal, como estes termos são entendidos comumente. Isto é, todos aqueles que falham em sua busca ao longo deste caminho (e Gilles de Rais² é um exemplo) o fazem com frequência porque fundamentalmente aceitam a dicotomia “bem” e “mal” e se identificam com o que percebem ou acreditam que são, o “mal” – essa percepção e entendimento quase sempre derivam do que a “oposição” declarou ser “mal”. A realidade é que essa dicotomia não existe no cosmos – na realidade, a convenção do que é o “mal” foi imposta pela projeção dogmática da maioria Nazarena.
Em um sentido fundamental, o Satanismo é um meio pelo qual cada indivíduo pode descobrir (ou melhor “re-descobrir” no sentido de Heidegger³) a realidade por eles mesmos.
Portanto, a catarse Satânica é essencialmente uma blasfêmia – mas de maneira ordenada e com objetivo definido; resulta de uma vontade individual canalizada por uma compreensão consciente. É a aplicação da vontade – da intenção consciente – que destaca o Satanista genuíno da imitação e do fracasso. Um Satanista se diverte na vida – as falhas encontram-se presas por seus próprios desejos inconscientes que não têm a inteligência para entender nem a vontade de direcionar para uma apreensão consciente.
A blasfêmia é efetiva apenas se, ao longo de sua vida, primeiramente, um choque genuíno e uma reação em que valores embora aceitos são muitas vezes inconscientemente aceitos; E, em segundo lugar, se é uma apreciação das qualidades positivas e favoráveis à vida inferidas pela oposição infernal. Assim, enquanto a Missa Negra tradicional – com esta negação do Nazareno – ainda é útil por causa das restrições contínuas das crenças Nazarenas, hoje é complementada por uma Missa em que em sua versão inexplorada, representa um choque blásfemo para a maioria das pessoas na Grã-Bretanha e outros países Ocidentais.
A Missa Negra, e as Missas Satânicas modernas que derivam dela, em suas formas genuínas provocam uma resposta revigorante pelo próprio fato de uma oposição positiva. A oposição negativa – como a chamada missa negra descrita em “La-bas”⁴ - é enervante. A Verdadeira oposição Satânica – codificada em um ritual – produz exatamente o contrário – a vontade por mais vida: e é essa vontade positiva, vital, que será a essência para o arquétipo genuíno da imagem de Satã, o adversário. A oposição Negativa – um murmúrio na morte, decadência, horror e imundície de decadência descontrolada – é sinal de imitação do Satanismo: uma imagem distorcida do cadáver putrefato do Nazareno.
Uma das Missas Satânicas usadas atualmente é baseada na evocação de Adolf Hitler – e não apenas como algo artificial, ainda menos como um “jogo” psicológico. Em vez disso, há uma identificação genuína com os aspectos positivos do nacional-socialismo e que aumentam a vida. [Para a maioria dos leitores, isso será chocante - uma blasfêmia; O que é exatamente o ponto.] Assim como acontece na Missa Negra tradicional, é a ênfase colocada nas qualidades de oposição positivas e vitais que são importantes - porque isso contradiz na sua própria essência tudo o que é assumido sobre o que ou a respeito do que é o propósito da missa. Portanto, nessa Missa Negra em particular, Adolf Hitler não é representado hoje como retratado por seus inimigos – como um tipo de monstro “mal” – mas exatamente o oposto, como um nobre salvador.
O ritual Satânico genuíno, para um novato, não é apenas inversão – é uma completa rejeição de imagens e ética do ethos particular – e o Satanista usa todas as imagens e ética, sua essência invertida, contra seu próprio “condicionamento” inconsciente, e ultimamente contra a sociedade que usa/cria essa ética e imagens. Indivíduos que participam de missas Satânicas genuínas e bem-executadas experimentam às vezes uma espécie de satori – uma iluminação súbita – e são levado portanto a aumentar sua própria compreensão consciente. Eles também conseguem um aumento em sua própria vitalidade porque eles se tornaram livre por quebrar opostos constrangedores.
Em um sentido muito importante, o Satanismo descobre que o ethos de determinada sociedade ou sociedades foi coberto através de imagens, dogmas, éticas, palavras e ideias - e retorna o indivíduo ao caos primitivo em que os opostos foram formados.
Esta descoberta gera o controle individual, uma compreensão consciente e uma consciência de seu Destino único. Isso é e tem sido o propósito de grupos Satânicos genuínos para promover esse descobrimento guiando os noviços e fazendo com que eles participem de ritos blásfemos. Além de tal descoberta, cessam ritual e cerimônia – para serem substituídos por uma profunda habilidade sem palavras, uma profunda empatia. O fundamento ou a base desta empatia é o que tem sido chamado de "individuação" - a unidade que representa um Adepto genuíno. Mas essa “individuação”, este estágio de adepto, é apenas outro começo; é somente o quarto estágio para o objetivo ultimo.
Fundamentalmente, as Ordens Satânicas aumentam, aceleram, evoluem - enquanto a maioria das pessoas dormem, cheias de medo dos terrores infernais.

NOTAS:
¹ palavra de origem grega que significa “caráter moral”. Em Sociologia representa os costumes de um povo.
² herói que lutou ao lado de Joana Darc e libertou a cidade de Orléans dos Ingleses, ficou conhecido por cometer abusos sexuais e canibalismo contra crianças em rituais de magia negra.
³filósofo, escritor, professor universitário, reitor e um dos grandes pensadores do século 20.
⁴O romance Là-bas, de Joris-Karl Huysmans,reproduz o tema do satanismo e sua presença em um mundo moderno já tomado pelo Positivismo.

Tradução e notas: A Bruxa.
Revisão: AShTarot Cognatus

- Ordem dos Nove Ângulos -

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Nasz-Dom


Nasz-Dom em polonês significa "nosso lar". No ano 2000eh, a Ordem dos Nove Ângulos (ONA) lança o site Nasz-Dom para divulgar seus manuscritos sinistros. O site foi estruturado de acordo com as esferas da Árvore da Wyrd, a qual os adeptos do caminho septenário procuram trabalhar dentro do sistema mágicko exposto no manuscrito NAOS. Muitos dos textos incluídos aqui já estavam sendo disponibilizados na internet de maneira aleatória e outros mais foram incluídos para preencher a lacuna. Agora todos podem ter uma visão mais ampla da ONA dentro de um esquema coerente com sua cosmovisão.

Agradecimentos a Morbitvs Vividvs, Diabolus Shugara, Alektryon Christophoros, Fabius Maximus Sanguinus, Prmtn. Kali & Prmtn. Fobus, Baalzebuth, Malachi, Temujin Ras Al´Ghul e todos os outros tradutores anônimos dos textos disponibilizados aqui.

AShTarot Cognatus

LUNA

MERCÚRIO

VENUS

SOL

MARTE

JUPITER

SATURNO

Nasz-Dom LUNA


LUNA:
... Esfera de Terror e Conhecimento Oculto. 
 
Palavra: Símbolo:Trabalho de Magia:Pedra:Perfume:Estrela:Cor (inconsciente):Cor (ego):
NoxBesta de Chifres  XamanismoQuartzoPetriochorSiriusAzulPrata

Canto da Esfera: Agios Kabeiri
Uma Introdução ao Satanismo Tradicional
Satanismo: Uma Introdução Básica Para Perspectivos Aderentes
Vendendo Água pelo Rio
NAOS – Um Guia Prático de Magia Moderna
A Tradição do Caminho Sinistro

As Forças Negras

A Alquimia da Magia

O Significado da Iniciação Sinistra
Guia Completo para o Sinistro Caminho Septenário
A Quintessência do Satanismo

Portais Estelares
Seven-Fold Way: Training and Grades
Griggins Nap
A publicação das tradições esotéricas no caminho da mão esquerda

Petriochor
FALCIFER – Lord of Darkness
Guia para a Magia Negra

Dark Pathworking: Satanás
A escuridão é minha amiga: o verdadeiro significado do caminho sinistro

Variations
A Alquimia Proibida

Magickal Mastery – A Novices Guide
Magick With Tears
A Canção de um Satanista
Confissões: 3

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Petriochor



1) Prepare uma área de solo de pelo menos 90cm quadrados. Deve ser mantida livre de plantas e deve idealmente ser exposta ao sol por pelo menos uma parte do dia, e não sombreado por árvores etc. Se possível não deveriam estar presentes pesticidas, fertilizantes etc, mas deve ser também de uma alta capacidade orgânica por cultivação prévia.
2) Colete um pouco desse solo em uma época especifica entre a ultima Lua cheia em Maio e a Lua cheia seguinte ao Solstício. Essa época depende do tempo, mas é sempre na hora antes da aurora. O tempo é certo quando segue a um período de calor, tempo seco que tem acabado por pelo menos sete dias, há chuva nas horas antes da aurora. Essa chuva idealmente deve ser um leve chuvisco.
3) O solo deve ser coletado e colocado imediatamente em um recipiente hermeticamente fechado. Tão logo quanto possível ele deve ser transferido para um conveniente receptáculo conectado a um equipamento de destilação, e fogo baixo aplicado por um período de tempo que somente experimento pratico pode mostrar. A “essência” coletada é a base do incenso.
4) Então faça como um perfume/óleo normal usando uma base natural, eg. óleo de amêndoa doce, dentro do qual a “essência” é infusa/misturada. - Fenrir Volume III No. 2

Para criar a “essência” faça o seguinte (nota: esse método é um modo fácil e pratico para criar a “essência” sem gastar centenas de dólares em equipamento de destilação, o qual não é pratico para pessoas sem meio e dinheiro.)

Pegue Vodka ‘Pura’ (60 água/40 vodka)
Para cada 28g de solo adicione 85g de vodka (ie. 28g de solo/85g de vodka)

Sele o recipiente e mexa bem, deixe assentar e misture bem pelos próximos 4-5 dias. Misture bem uma vez por dia. No final desse período de tempo vaze a mistura através de um filtro (um simples poderia ser um coador de café de papel) em um prato/bacia ou recipiente. É importante que você não deixe o solo passar pelo filtro.

Deixe assentar e evaporar até ‘formarem cristais’. Os ‘cristais’, devido ao teste alfa parecem ser mais uma substância empoeirada, isso é raspado do recipiente. Para acelerar esse processo você pode botar a mistura em um forno a 43 graus C. Não suba a temperatura acima de 65 graus C. O ponto de ignição do álcool é a 65 graus C. Nesse tempo quando os cristais se formarem respe-os do recipiente - colocando-o em outro - então misture com o óleo de amêndoa doce.

A ‘essência’ do solo serão os cristais. 28g de solo misturados com 85g de vodka rendeu menos que uma colher de chá de ‘essência’.

Notas de Teste: O teste alfa do autor produziu uma substância ‘empoeirada’ com alguma cristalização. Isso foi misturado com duas colheres de chá de óleo de amêndoa doce. O resultado disso foi a mistura com restos de solo escoados no filtro. Mais testes serão conduzidos antes de qualquer resultado ser feito publico.
Feedback de outros nesse tempo é requerido.

Aulwynd Wyndbornne, Vindex Division

Tradução por Diabolus Shugara

- Ordem dos Nove Ângulos -

sábado, 3 de junho de 2017

Mãe das Sombras


Quem vem até mim?

               Seu servo e consorte                 
A Besta a qual vc monta

Onde me ergo?
Da espiral das sombras venho e me ergo no fogo
Com a espada nos meus pés e vindo pelas  minhas coxas levo pela descida
Meu ventre é o caminho, o início e o fim
Nas sombras meus filhos se deitam aos meus pés. Nas sombras sussurram meu nome
Chamo a mim minha besta. Aquela que retira meu véu e abre as portas
No meu ventre o sangue negro ferve, abrindo o caminho e queima. Do sangue eu me alimento.
Qual é meu nome?
No sangue eu deito, das sombras eu vim e no fogo eu danço. Do fogo eu venho e no sangue eu me alimento. Quem eu sou?

LILITU!                  
Mother of Blood!            
Baphomet, Mistress of Darkness

Com a besta venho e nela eu monto. Seu sangue é meu alimento, seu prazer é meu alimento. Seu sangue é meu prazer e da minha carne ele se verte. Da sua carne eu como e seu sangue eu bebo
Quem eu sou?

Dark Mother Divine

Me alimento dos meus filhos e eles eu consumo. Bebo seu sangue. Eu sou o sangue, eu sou o prazer, a carne que queima. No fogo eu danço, eu sou o fogo negro que consome no ventre negro. As portas eu abro, pelo ventre eles vem. No meu sangue negro eles dançam, dos meus seios eles se alimentam, sua dor é meu prazer, meu prazer queima como o fogo do sol negro. Do prazer eu venho, eu sou o prazer que queima. A carne. O caminho o início e o fim. Eu sou a mãe e a consorte.                    
A mãe negra e a consorte escarlate                     
Eu sou Babalon, sou Lilith, a fornicaria, a mãe das sombras

Por Kaligula & AShTarot Cognatus